JAILSON PINTO AGORA É FUNCIONÁRIO DA SEDU É SERÁ O SUPERITENDENTE DE EDUCAÇÃO EM SÃO MATEUS

 

Jaílson Maurício Pinto foi aprovado no processo seletivo da Sedu e será o superintendente de educação em São Mateus

O ex-diretor da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) José Teixeira Fialho, de Imburana, distrito de Ecoporanga, Jaílson Maurício Pinto, é o novo superintendente regional de Educação de São Mateus. A nomeação dele foi publicada no Diário Oficial do Espírito Santo, nesta sexta-feira, 14. Ele foi um dos 11 profissionais selecionados através de processo seletivo para atuar nas superintendências de todo o Estado. Os aprovados terão carga horária de trabalho de 40 horas semanais e remuneração de R$ 5.943,58.

“Meu sentimento hoje é gratidão. Sou do interior de Afonso Cláudio, filho de agricultores. Cursei Ciencias biológicas e Pedagogia, sou pós graduado em Gestão Escolar e Gestão ambiental. Fui para Ecoporanga, onde consegui me efetivar na Rede Estadual de Educação. Fui diretor de 2015 até 2 de fevereiro de 2020 e tenho vários projetos premiados em nível regional, estadual e nacional”, relata Jaílson.

O profissional ressalta ainda que seu trabalho na SRE/São Mateus será pautado no respeito, na liderança e busca por melhores resultados de aprendizagem nas Escolas. “Quero fazer o melhor para a educação das escolas da SRE. Agora terei 30 escolas sob minha jurisdição sendo essas localizadas nos municípios de São Mateus, Jaguaré, Conceição da Barra e Pedro Canário”, informa.

Jaílson relembra ainda que, quando assumiu a Escola José Teixeira Fialho, em Imburana, a mesma vinha de resultados negativos, sendo considerada uma das cem piores escolas do país.

“É tão gratificante saber que aquela escola que em 2014 foi considerada uma das cem piores escolas do país hoje tem o reconhecimento de ações e projetos até no exterior. As conquistas quantitativas e qualitativas demonstra que como uma fênix a escola renasceu das cinzas. E está radiante. Muito obrigado à toda comunidade escolar por tantas conquistas. Parabéns estudantes, vcs são nossas estrelas”, comemora Jaílson.

“Hoje, a Escola de Imburana já tem outro diretor, é o Renatos Santos. Um excelente profissional que irá fazer um brilhante trabalho. A partir de agora ele irá direcionar os trabalhos na escola.”

Projetos vitoriosos – Desde que assumiu a escola de Imburana, Jaílson e equipe conseguiram colocar a mesma em posição de destaque estadual e nacional com vários projetos técnicos e científicos desenvolvidos por alunos e professores.

Um desses projetos é o “Calcular + Cozinhar = a arte de reaproveitar”, que se transformou em livro e já foi premiado em várias feiras de ciências no Estado e no país.

O projeto é finalista da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia Criatividade e Inovação (Febrace) e será apresentado na cerimônia de premiação, nos dias 17 a 19 de março, na Universidade de São Paulo.
também recebeu o credenciamento para participar da Feira Internacional Copa Tecnociências Paraguay 2020, que será realizada entre os dias 30 de março a 2 de abril.
O projeto foi realizado pelas estudantes Micheli Galter Dal Col e Gisele de Oliveira Paixão e pelas professoras Renata Gomes de Souza e Ivani Vieira Damaceno, com apoio do diretor Jailson Mauricio Pinto.
“Essas participações têm melhorado os índices da escola nas avaliações externas. Esse trabalho valoriza o protagonismo juvenil, porque quem tem as ideias e desenvolve os projetos são os estudantes. São eles que excutam. Os professores são orientadores dos projetos de ensino. E todas essas ações trouxe vida para a nossa escola”, disse.
Jailson destaca ainda que o resultado positivo veio de uma escola que atende a distritos de Ecoporanga, destacando a importância do alcance da Educação Pública. “A escola atende cerca de 200 estudantes e se localiza no distrito de Imburana, atendendo aos distritos de Cotaxé, Muritiba, Imburana e assentamentos. Por isso, digo que devemos acreditar na educação pública”, falou.
O Projeto – Estudantes e professores observaram a quantidade de cascas, sementes e talos que eram desperdiçados diariamente. Começaram a pensar em como fazer algo para mudar esse cenário no cotidiano. Visando reaproveitar os restos de alimentos que se tornariam lixo, desenvolveu-se um projeto em que os estudantes que, orientados pelos professores das disciplinas de Ciências da Natureza e Matemática, pesquisaram receitas, tanto na internet quanto entre familiares e a comunidade, voltadas para uma alimentação saudável, o reaproveitamento e valor nutricional dos alimentos e reeducação alimentar. Como produto final, foi produzido um livro de receitas com foco na utilização de partes dos alimentos que geralmente são jogados fora. (Weber Andrade com Secom/ES)