ECOPORANGA: PINTINHO E ROBÉRIO E ENVOLVIDOS NA MÁFIA DO LIXO TERÃO QUE DEVOLVER MAIS DE DOIS MILHÕES E OITOCENTOS MIL REAIS AOS COFRES PÚBLICOS

O Ministério Público do Espírito Santo no último dia 17.12.19 abriu ação Cívil Pública através do Processo 0001607-31.2019.8.08.0019 em relação ao desdobramento operação varredura, referente ao contrato do lixo em Ecoporanga cobrando o ressarcimento dos envolvidos no caso, em mais de Dois Milhões e Oitocentos mil reais aos cofres público do município.

Para quem não se lembra a Operação “Varredura”, denominada “Eco do Inhambu”, comandada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Espírito Santo (MPES), em que investigava fraudes em contratos no setor de coleta e tratamento de lixo, no qual ocasionou a prisão do
Secretário de Meio Ambiente Thiago Caldeira, conhecido como PINTINHO e o vereador Robério.

Relembre o Caso da Mafia do Lixo

Em junho foi deflagrada em Ecoporanga a operação Eco do Inhambu em que s Promotoria de Justiça, Núcleo de Inteligência da Polícia  Militar do PMES vasculharam a Sede da Prefeitura, a casa do então Vereador Robério Rodrigues Pinheiro levando a sua prisão no dia 06 de junho sob suspeita de participar do esquema criminoso de formação de quadrinha e outros crimes.

No dia 09 de agosto era a vez do então secretário de meio ambiente, Thiago Caldeira, vulgo, “Pintinho” ser preso pelos mesmos motivos do então vereador Robério Rodrigues.

Uma situação intrigrante e bastante comentanda na cidade é que como atual gestor, conhecido por ser centralizador deixou isso acontecer debaixo dos seus próprios olhos, como que o ex-secretário Thiago Caldeira que era tratado como filho juntamente com o vereador Robério, o seu principal aliado tivessem praticados os atos nos contratos do lixo sem anuência o conhecimento do prefeito Elias Dal Col.

Fonte da matéria: site Na Rota do Povo