JOGADOR FRANCISQUENSE WANDERSON NOGUEIRA VEM SE DESTACANDO PELO ES E RJ; CONFIRA A ENTREVISTA

Wanderson jogando contra o flamengo

Nossa equipe do site Agitaeco entrou em contato com o jogador francisquense Wanderson Nogueira, atleta que vem se destacando no futebol, com passagens em clubes do Rio de Janeiro, jogando contra clubes de ponta, batemos o papo com Wanderson e ele nos contou sua história no mundo do futebol, veja:

Wanderson, como começou sua história no futebol ?

Cara minha história é bem longa e envolve muitas pessoas, muitos momentos de superação não dá pra falar tudo detalhado mais vou tentar resumir um pouco.

Meu nome é Wanderson Nogueira minha posição de origem é volante (mas tenho desenvolvido uma versatilidade em compor outras funções no meio campo),tenho 24 anos com uma oportunidade concedida pelo presidente Flaris, através do pedido de alguns amigos, cheguei ao Real Noroeste no primeiro semestre de 2011, com 17 anos de idade e com um sonho semelhante ao da maioria dos garotos no Brasil, de me tornar atleta profissional de futebol.

Ser jogador profissional exige muito, você muito novo, como foi sua adaptação ?

No início foi difícil a adaptação, pela pouca experiência em passar por clubes de futebol, sendo que minha única experiências até então tinham sido ter jogado dos 9 aos 15 anos, campeonatos colegiais e na escolinha de futebol da minha cidade Natal(Barra de São Francisco), e algumas experiências com testes para clubes de ponta do Brasil, com aprovação inicial nos mesmos, mas até então sem grande sucesso apenas com promessas dos responsáveis, nesse meio período, através de um amigo, Pedro Fiorott também de certa forma um dos professores da escolinha da cidade procurou fazer algo a mais para ajudar nas minhas tentativas de engrenar na carreira, e nessas tentativas foi aonde tive algumas passagens em clubes como no Bahia EC, Vila Nova-MG, Itaúna-MG, que serviram como experiências para vivenciar de perto o quanto custaria abrir mão de algumas coisas em prol da realização dos objetivos e o sonho de ser um jogador profissional.

Suas passagens por clubes do Rio te deram experiências, mas o grande responsável pelo sucesso foi o Real Noroeste, você fazendo parte no elenco campeão da Copa do Espírito Santo no ano de 2011 ?

O Real Noroeste, no primeiro ano de clube tive a oportunidade de ser campeão da Copa ES de 2011, competição que me tornei Tri-Campeão ganhando também em 2013 e 2014, já nessa altura como uma peça importante do time profissional, com o sucesso nas Copas ES e automaticamente experiências de jogos pela Pré-Copa do Brasil até chegar a Copa do Brasil, como consequência de termos sido campeões da Copa ES, os objetivos passam a ser a conquista do Capixabão que daria a vaga para a tão desejada série D do campeonato Brasileiro e buscar uma ascensão, chegamos até às semifinais em alguns anos mais até então não conseguimos ir a final Estadual. ( Nesse período Fiz muitos amigos no decorrer desses anos que levo alguns até hoje como parte da minha família já (risos), tanto atletas como membros da comissão técnica que passamos vários momentos juntos sem dúvida tenho ótimas recordações tempos muito bons, essa é uma das melhores coisas que o futebol tem a capacidade de proporcionar, às vezes ficamos tanto tempo longe da família de sangue que acabamos nos tornando realmente uma família “Sempre tem os guerreiros difíceis de aturar mas faz parte”, (risos), toda família também tem seus problemas.

Como foi sua ida para o Rio de Janeiro, quem foi o responsável dessa ponte ?

Wanderson em disputa de bola com Richarlison

Em 2016 foi minha primeira saída por empréstimo do Real ao Madureira, para jogar o campeonato carioca série A de 2017, através de um amigo que nessa altura é ex-jogador, e agora gerente de futebol no próprio Real Noroeste Danilo Bigasz, que tinha um relacionamento com uma empresa do Rio de Janeiro e fez a ponte para a negociação, foi uma excelente experiência, pude trabalhar com atletas conhecidos nacionalmente e até internacionalmente, a oportunidade de trabalhar com professor PC Gusmão foi sem dúvida um grande pilar, o aprendizado foi grande e pude além de fazer parte desse grupo vencedor contribuir dentro de campo fazendo jogos contra Flamengo, Vasco, Fluminense…por fim terminando a competição em 6° lugar na classificação geral, conquistamos a vaga para série D do Brasileiro e da Copa do Brasil do ano seguinte para o clube, e assim finalizamos o ciclo no Madureira, após a boa campanha algumas possibilidades surgiram mas não concretizadas e retornei ao Real Noroeste pela primeira vez, reintegrado ao grupo que jogaria a Copa Espírito Santo antes mesmo do início da competição surge através da Champions, empresa do Rio de Janeiro que hoje cuida das minhas coisas, a oportunidade de estar saindo novamente, retornando ao Rio agora junto ao Bangu-AC me apresento então ao mesmo para a disputa da Copa Rio e possivelmente o carioca na sequência, nas primeiras semanas de treinos uma infelicidade em um jogo treino preparatório para o jogo do fim de semana pela Copa Rio sofro a primeira lesão grave na carreira

Wanderson em tratamento

(entorse no joelho e com confirmação no confirmação no exame o rompimento do LCA sendo necessário um procedimento cirúrgico para reconstrução do ligamento), então seria o momento mais difícil da carreira, passar 6 meses em processo de recuperação do pós-operatório, mas pela felicidade o clube através de profissionais extremamente qualificados, Dr. Thiago Brum, e os Fisioterapeutas Gabriel Peres e Pedro Beltrão, me deram as condições e o apoio necessários para o sucesso na reabilitação até o retorno às atividades, com o apoio principalmente da família e alguns amigos que estiveram perto nesse momento difícil, vencemos o processo, agora completamente recuperado, primeiramente grato a Deus e a todos que me deram esse suporte nesse momento difícil na carreira, retorno pela segunda vez ao Espírito Santo, me apresento ao Real Noroeste novamente, o mesmo ainda em competição já na Final do Capixabão de 2018, tenho a oportunidade de me apresentar e já ser integrado ao grupo com a oportunidade de jogar o último jogo da final, fizemos uma partida de uma final que, acredito ter sido um dos melhores jogos do Futebol Capixaba dos últimos anos, conseguimos a vitória por 4 × 3, mas como a primeira partida havíamos perdido por 1 x 0, a equipe adversária tinha a vantagem pela melhor campanha, então saímos como vice campeões capixabas, finalizando os trabalhos no primeiro semestre pelo clube.

Com o fim do campeonato capixaba, qual será o destino de Wanderson?

Agora é sentar e conversar sobre a permanência no clube ou não, descansar e aguardar, a confiança em alta e a motivação lá em cima, os próximos desafios para sequência na carreira. Pessoalmente me sinto feliz pelo retorno aos gramados após um período longo de inatividade, é uma grande vitória pessoal passar por um processo doloroso que acabamos de vencer e poder retornar já com uma oportunidade de jogar uma final foi um privilégio, sem dúvida nenhuma eu vejo claramente as mãos de Deus nisso tudo, tenho percebido no decorrer dos anos o quanto Deus tem me abençoado, e o quanto tenho conhecido pessoas que tem agregado valor a minha vida não só profissional, com certeza irei preservar todas essas amizades, seria injustiça citar apenas alguns nomes pois por onde eu tenho passado tenho sido privilegiado de fazer amizades e relacionamentos que com certeza levarei por toda vida. O Futebol é muito dinâmico, as coisas mudam muito rápido, e aprendi ao decorrer desse tempo que as oportunidades podem pintar quando menos esperamos, então precisamos está sempre preparados, dando o nosso melhor. Acredito que todos nós estamos em uma caminhada nessa vida, trilhando uma carreira seja ela qual for, se estamos vivos temos o privilégio de sonhar e correr atrás dos mesmo não é verdade ? me sinto hoje no meio desse percurso, longe do fim mais também não mais no início (apesar de nesse momento estar “recomeçando” do zero) “As dificuldades na vida elas existem, é natural encontrar pelo meio do caminho adversidades, mais a diferença é como olhamos para o problema, tudo depende do ponto de vista que encaramos as coisas” Hoje além das experiências com futebol e tudo mais também tenho buscado me posicionar em um estilo de vida que agrade a Deus pois, no meio dessa trajetória Jesus me tocou e me marcou, desde então ainda com muitas falhas que cometo Ele tem transformado meu carácter para que eu me pareça cada vez mais com Ele, e isso é uma escolha, a mudança acontece quando eu enterro o velho para viver algo novo. Se me perguntar sobre uma pessoa que é minha fonte de inspiração, sem dúvida eu vou dizer minha mãe “minha coroa”, foi ela que me ensinou quase tudo, me ensinou a nunca pegar o que não é meu, trabalhou duro para que a gente tivesse o que comer, deixava de fazer algo para ela pra me agradar com o que eu queria, demorei muito tempo para perceber isso…se pudesse dar um conselho pra quem ler essa pequena parte da minha história: “Não espere perder algo para dar valor aquilo, aproveite enquanto isso estiver disponível pra você.” E pra finalizar uma Frase que marcou a minha vida : “Tenho razões para sonhar” isso é uma grande verdade todos temos muitas razões para sonhar “então sonhe e ouse sonhar você é do tamanho dos teus sonhos.” finalizou Wanderson.

Essa é a história do garotinho francisquense que está na luta de conquistar seu grande sonho, e mudar a vida de sua família.

COMPARTILHAR